Menu Principal

Dez orientações para voltar sem dívidas das férias

ferias

 

*Por: Reinaldo Domingos

Muitas famílias que queriam viajar durante as férias de julho, com a recente disparada do dólar, perceberam que pode não ser o momento. Férias é um sonho pessoal e familiar, por isso, não se deve deixar de tê-las, mas é preciso evitar que este sonho se transforme em um pesadelo, então, todo cuidado é pouco.

Nós, brasileiros, geralmente, tiramos férias em julho e dezembro, mas não temos o hábito e costume de poupar para que possamos curtir com tranquilidade esse período. É necessário sempre planejar os compromissos e saber o que fará nas próximas férias com uma antecedência de pelo menos 6 a 18 meses, dependendo da viagem e dos gastos.

É fundamental ainda que procure programas e destinos turísticos compatíveis com a renda. Com isso, saberá quanto gastar e poderá elaborar um roteiro dentro dessa realidade. Isso, é claro, deve ser definido junto com a família, explicando os motivos das limitações dos gastos.

Outro grande problema a ser salientado são os riscos que se tem em caso de utilização de cartões de débito e de crédito. Muitas vezes, ao utilizar o cartão de débito, não temos saldo na conta e, nesse caso, estará utilizando o limite do cheque especial.

Outro ponto a ser observado são as contas de telefones. É muito comum ligar para parentes e amigos para falar como está a viagem, mas essa conta pode ficar muito cara. Planeje-se, férias não podem ser encaradas como despesa e sim como um grande investimento.

Seguem abaixo algumas orientações para quem quer fazer a viagem com sucesso:

Antes de reunir a família para conversar sobre o sonho da viagem de férias, é preciso saber em que situação financeira a família se encontra (endividada, equilibrada financeiramente ou poupadora);

1 – Após definido o quanto pode investir para o sonho de férias, é necessário reunir a família para planejar. e inclua as crianças;

2 – Uma vez definidas as preferências de lugares, hora de pesquisar na internet e, depois, ir às lojas, buscando os melhores pacotes e vantagens. Lembre-se de consultar se tem milhas em seu cartão de crédito, isso pode ajudar a diminuir muito o custo das passagens;

3 – Procure dar os passos de acordo com as condições. É preciso lembrar que muitas são as famílias que, por não planejarem financeiramente, ao retornar, tiveram seus sonhos transformados em pesadelo por se endividarem e até chegarem à inadimplência;

4 – Se for viajar dentro do país de carro, faça uma revisão do mesmo. Verifique documentação, seguro e somente dirija se estiver em boas condições físicas;

5 – Chamo a atenção para pacotes econômicos com pagamento antecipado. O grande cuidado é pesquisar a operadora de viagem para saber de sua saúde financeira, consultar os órgãos de consumidor para atentar-se quanto a reclamações;

6 – Caso vá viajar para fora do país, é fundamental que se adquira a moeda estrangeira daquele país; 80% em cartão pré-pago e 20% em dinheiro em espécie. Caso tenha vários familiares, faça com que todos tenham seus cartões com os limites já pré-estabelecidos e combine que este é o valor de sua cota. Oriente quanto dá para cada dia, assim, se for criança ou jovem, saberão de seus limites;

7 – Levar no máximo dois cartões de crédito, com vencimentos próximos e posteriores à data da viagem. Lembre-se de informar a operadora de cartões;

8 – Evite utilizar o cartão de crédito em caso de viagem fora do país, pois, quando chegar a fatura, haverá conversão da moeda e um custo de 6,38% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Também se assegure de ter um seguro viagem;

9 – Qualquer que seja a viagem, deverá levar uma reserva de 30% a 50% a mais. Lembre imprevistos e surpresas como passeios de última hora, presentes, lembranças, etc.

10 – Caso tenha encomendas para trazer, procure sempre receber o dinheiro antes de quem encomendou.

*Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP, autor do best-seller Terapia Financeira, dos lançamentos Papo Empreendedor e Sabedoria Financeira, entre outros.